Preciosidades Vini D’Italia

Pelo segundo ano consecutivo a embaixada da Itália abriu suas portas para receber um público selecionado de convidados para o Vini d’Italia no dia 16 de abril último. O evento contou com a participação de 15 empresas que apresentaram uma degustação de 110 rótulos de vinhos italianos das principais regiões italianas como Piemonte, Vêneto, Puglia, Toscana, Umbria, Sicília, Campanha, Trentino-Alto Adige, dentre outras. Quem esteve no evento, se encantou, tudo estava primoroso e encontrou uma tarefa nada fácil, eleger o que degustar, por onde começar e como finalizar.

Minha tarefa começou um pouco antes quando participei da master class Il Marroneto promovida pela Itália Mais, dirigida por Domenico Picoli, um dos proprietários da importadora. Quatro rótulos da Il Marroneto foram apresentados, um rosso safra 2012 e três brunellos, safras 2009, 2010 e 2012, todos incríveis, grande tipicidade, marcante foi a expressão do rosso, italianíssimo, os aromas ‘pulam’ revelando-se muito fresco tanto em nariz como em boca com frutas vermelhas e especiarias. Os brunellos são fenomenais, dos três a safra 2009 está perfeita para beber, degustamos na hora certa, Antes de passar minha impressão sobre o 2009 vou passar as informações técnicas que seguem o elã de Alessandro Mori. A fermentação ocorre em tanques de aço inoxidável com remontagem contínua nos 2 primeiros dias com duração de 11 a 12 dias. Envelhece em barris de carvalho por 3 anos e 3 meses (39 meses no total) e por mais cerca de 10 meses em garrafa, tornando-se um brunello quando completa 5 anos de estágio, considerando o tempo em garrafa. Pelas informações técnicas percebe-se que os brunellos Il Marroneto não seguem receitas tradicionais, tem identidade própria. Quando me deparei com a taça do 2009 , não percebi nada imediatamente, estava fechado mesmo depois de uma hora de decanter, tanto que mudei minhas anotações após  uns quarenta minutos de espera, despertou-se intenso, com aromas de frutas vermelhas e negras, algo como tomate na horta e várias especiarias, em boca equilibrado, sem arrestas, taninos, acidez e álcool envolvidos num corpo estruturado.

Pelo salão deparei-me com muita coisa boa, a Del Maipo, esmerou-se na seleção de seus rótulos, havia uma grande variedade e quantidades, os grandes B da Itália estavam lá, Barolos, Brunelos, Barbera D’Alba e Barbaresco, com um super atendimento do sommelier Bernardo, Piantas.

No dia seguinte ao Vini d’Italia aceitei o convite da Segala & Perini, representada pelo Rogério Santos e Leandro Lima, para um almoço harmonizado na Tratoria do Rosario com vinhos italianos que foram servidos no evento. Vou adiantar o serviço sobre esses vinhos antes de apresentá-los, todos estão a venda na Super Adega e vou citar seus preços individualmente.

Uma sequência de oito vinhos, 02 brancos, 01 rose e 05 tintos nos foram oferecidos para degustar, o primeiro branco, região Lombardia, uva pinot grigio, flores e frutas brancas, corpo e acidez harmônicos, 65 reais. O segundo, um espetáculo, região Lombardia, produzido pela Azienda agrícola Ricchi, de 15 a 20 mil garrafas ano, uva Tocai friulano, chama-se Mandorlo, mineral, amêndoas, o frescor absorve a alta acidez, 65 reais.

O rose La Casina, um blend de merlot, rondinela e cabernet sauvignon, cor salmão translucido, apresenta uma leve tanicidade, ideal para pratos com uma gordura discreta, ficou perfeitamente harmonizado com uma mortadela elegantíssima do Alto Veneto. 65 reais

O primeiro tinto foi o Garda, um 100% merlot, produtor Azienda Ricchi, de um solo rico em enxofre,  conservante natural. 100% vinificação em concreto. 80,00 reais. O Pinot Nero produzido na Lombardia, mostrou muita tipicidade, mais alcóolico, mais aromas doces, frutas em compotas. 65 reais.

O sexto vinho, foi um barbera com um pequeno percentual da uva rara, cepa local, tintoria, produtor Luigi Scarani, usam madeira para ‘amaciar ’a barbera com passagem de 80% em barril francês e 20% em austríaco. É um DOC, região Cigognola.  Desprendeu aromas bem interessantes como alcaçuz, mentol, frutas negras doces, muita personalidade italiana, em boca, untuoso. Gostei muito! 70 reais. Em seguida, o Ribo, um blend de cabernet franc com cabernet sauvignon, elaborado com uvas pacificadas (estilo amarone), temperatura controlada entre 16 a 20º em esteira subterrânea por 30 dias (Amarone normalmente são 3 meses). Tem tudo! Riquíssimo de aromas, encontrei até bacuri! 150 reais

O último, Gaggiarone, vino rosso Amaro de Rovescala – Piemonte, uva croatina. Vinho biodinâmico, natural e vegano, vinifica e fica depositado em tanques de concreto revestidos com vidro por 24 meses, mais 12 meses de garrafa antes de ir para o mercado. Experiencia única, sente-se resina em aroma e boca, herbáceo e mineral. 140 reais

Estão estarrecidos com os preços? Eu fiquei, com certeza a Segala & Perini está fazendo um belo trabalho de importação trazendo esses vinhos incríveis nesse custo benefício.

SERVIÇO:

Vini d’italia – Embaixada da Itália – SES – Quadra 807 – Lote 30, St. de Embaixadas Sul SES 807 – Asa Sul, Brasília

Itália Mais importadora – telefone : (11) 3044-1116

Segala & Perini – (41)3079-9598

1 responder

Os comentários estão fechados.