Época de vindima em Mendoza – dicas para organizar sua viagem

Mendoza é um dos destinos mais lindos do mundo, inúmeros vinhedos se sucedem a perder de vista, ou melhor, até encontrarmos a melhor delas, a cadeia de montanhas dos Andes. Não canso de lá, a visitei em meses distintos em anos diferentes mas o período que mais gosto é o da vindima, especificamente o período das festividades na cidade de Mendoza e arredores, normalmente acontecem na última semana de fevereiro e princípio de março. 

Nesse período, acontece a Mega Degustacion, como o nome já releva é uma degustação de vinhos com vinícolas menores e projetos diferenciados a céu aberto, em 2019 ocorreu na Avenida Aristides Villanueva, a rua mais charmosa e movimentada da cidade, concentração de bares e restaurantes. Fácil e prática, cada um compra seu passaporte, vinhos jovens ou reserva, preços diferentes, taças também, circula-se pelos estandes e escolhe-se o que se quer degustar mediante apresentação de um ticket. Algumas vinícolas têm seus próprios eventos também, são degustações e/ou jantares harmonizados presentes na agenda do período.

A cidade de Mendoza tem um aplicativo onde se encontra as atividades promovidas pela prefeitura, são muitas e peculiares, desde caminhadas noturnas fazendo uma ‘rota do vinho’ de adega em adega, loja em loja, como apresentação públicas de músicas e danças até a grande festa de coroação da la reina de la vindima, uma festa belíssima com apresentações que remetem ao circo de soleil num anfiteatro dentro do parque de Mendoza, porém, essa festa não é pública, tem que adquirir os ingressos que são bem disputados. 

Chegar a Mendoza é bem fácil, atualmente existem voos direto de São Paulo, para se hospedar sugiro hotéis ou AirBnb nas áreas próximas as avenidas Aristides Villanueva, Sarmiento, praça da Independência ou praça da Itália, áreas bem centrais pois praticamente não existe uber e táxis através de centrais. Caminhar e caminhar para conhecer os inúmeros lugares charmosos da cidade, são cafés, restaurantes, praças, o parque e os prédios. 

E com relação as vinícolas, como chegar? Se for sua primeira visita, contrate um guia para agendamento e transfer, o departamento de Mendoza tem 03 grandes regiões vinícolas para se visitar, Maipu, Lújan de Cuyo e Vale de Uco. Cada uma delas tem inúmeras vinícolas, as duas primeiras ficam cerca de 40 quilômetros da cidade, já o Vale de Uco fica a uns 100 kms.

Em fevereiro de 2019, levei um grupo de amigos de Brasília e contei com a parceria da Winebulance, do Javier Eppens, um mendocino que fala português e inglês fluentemente, conhecedor da região além de um estudioso da casta malbec, uva icônica argentina, ou seja, todas às vezes que solicitei seus serviços, ele organizou a agenda de visitas e sempre me surpreendeu.  A agenda enxuta deve ser de no mínimo três dias, um para cada das regiões, com três vinícolas, uma delas com almoço incluso, porém, Javier pode oferecer outros serviços e passeios, como conhecer uma produção de Azeite ou ir até o Aconcágua, passeio ímpar.

Maipu é um zona bem árida (Mendoza é um deserto hidratado) , mais quente, mais ensolarada, produz vinhos mais alcoólicos, lá encontramos vinícolas como a Santa Julia ( antiga Zuccardi que mudou o nome depois que inaugurou a do Uco), El Enemigo, Alandes, Trapiche … 

Luján de Cuyo fica entre a cidade de Mendoza e Vale de Uco, cortada pela ruta 40, tem áreas às margens direita e esquerda, com áreas destacadas como Agrelo pela qualidade de seus vinhos. Encontra-se nessa região a maior concentração de vinícolas abertas à visitação, a majestosa Catena, a excelente Cobos, a charmosa Chandon, dentre tantas outras menores e ótimas como a Benegas, Altavista, Bonfanti, Cruzat, Lagarde, NIeto Senetiner e muitas outras

Descendo a ruta 40 por 90 km desde a cidade de Mendoza, chegamos ao Vale de Uco, paraíso terrestre, onde nos aproximamos da montanha e estamos a disposição do seu humor, muito temperamental muda as temperaturas o tempo todo, já vivi verões calientes e outros helados, porém, para a viticultura o quê interessa é a altitude encontrada, a amplitude térmica oferecida e solos diversos, reunindo elementos fundamentais para a formação de terroirs únicos. Sem sombra de dúvida, os vinhos mendocinos mais complexos são os do Vale do Uco. Naquela imensidão de céu e montanha repousam construções deslumbrantes, como a nova a Zuccardi, seu complexo arquitetônico foi o eleito o mais belo do mundo em 2018, ela é tão linda, seus vinhos são tão bons e sua gastronomia tão criativa e saborosa pelas mãos de Matias Aldasoro que vou escrever um outro artigo para contar tudo rs.  Outra construção impressionante é a O’founier, recentemente trocou de dono mas vale a visita pelas instalações no mínimo. Bom, temos ainda muitas outras como a Salentien, a Azul ( restaurante e hotel boutique) , Domaine Bousquet, Sophenia, Andeluna, tem ainda um condomínio de vinícolas, o The Vines of Mendoza, onde você pode ter seu próprio vinhedo a partir de 01 ha., lá está o hotel cinco estrelas homônimo com um dos restaurantes comandados pelo Francis Mallman, são 75 dolares por pessoa muito bem investidos, além de vinícolas como a Corazón del Sol, jovem porém muito competente. 

Após estas dicas bacanas, escolha a data da sua viagem, entre em contato com o Javier Eppens, peça uma agenda de visitação, se quiser pode pedir sugestão de hospedagem também, assim como dicas de eventos e ingressos para o período da sua viagem.

VOUCHER : A Kombi do Vinho vai patrocinar seu translado aeroporto-hotel em Mendoza, em parceria com WINEBULAMCE, informações através do email: Javiereppens@gmail.com

Boa viagem! Buen viaje! 

SERVIÇO:

A KOMBI DO VINHO – BLOG – VINHO, GASTRONOMIA E LIFE STYLE -+55 61 99829.8087

WINEMBULANCE – AGENDA E TRANFER –  JAVIER EPPENS – +54 9 261 470-4161

APLICATIVO – MENDOZA CIUDAD

FOTOGRAFIA – AUGUSTO ALMEIDA – +55 62 9218-6367