Avaliação Nacional de Vinhos: Amostras são coletadas em oito regiões produtoras do Brasil

Técnicos da Embrapa Uva e Vinho e enólogos da Associação Brasileira de Enologia percorrem cinco estados para coletar 343 amostras direto das vinícolas

O trabalho de coleta das 343 amostras inscritas na 27ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2019 está em pleno andamento. Técnicos da Embrapa Uva e Vinho e enólogos da Associação Brasileira de Enologia (ABE) – entidade promotora -, estão percorrendo cerca de 3 mil quilômetros, passando pelos estados da Bahia, Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul, colhendo diretamente dos tanques de aço inox ou das barricas de carvalho as amostras que vão ser degustadas às cegas para diagnosticar a qualidade da Safra 2019.

A rota compreende oito regiões produtoras brasileiras, sendo elas: Vale do São Francisco (BA), Sul de Minas (MG), Leste de São Paulo (SP), Planalto Catarinense (SC) e no RS a Serra Gaúcha, Campanha, Serra do Sudeste e Campos de Cima da Serra. A coleta é sistemática e segue um processo padrão em todas as vinícolas, com alto rigor de controle sob coordenação técnica da Embrapa Uva e Vinho.

São coletadas nove garrafas sem rótulo de cada amostra, que são identificadas por um código. Elas são utilizadas na Degustação de Seleção, realizada no mês de agosto, quando mais de 120 enólogos avaliam às cegas cada vinho inscrito. O resultado apontará os 30% mais representativos da Safra 2019 e dentre eles as 16 amostras que serão degustadas pelo grande público no dia 28 de setembro, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves.

A Avaliação Nacional de Vinhos é a maior degustação de vinhos de uma safra do mundo. Serão quase mil apreciadores que terão privilégio de degustar 16 amostras representativas. As inscrições para os apreciadores abrem dia 4 de setembro, a partir das 9h, pelo site www.enologia.org.br.

 

Único no gênero do mundo, o evento carrega a força do vinho brasileiro, sua evolução e DNA. Muito além de marcas, expõe o desempenho de cada safra, a variedade e performance de cada casta, sendo um termômetro para as vinícolas, tanto no que diz respeito a tendências quanto a investimentos. Além disso, também é um ponto de encontro, de confraternização e celebração.

Fotos: Jeferson Soldi